Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro

A palavra economia está na boca de todos atualmente, mas e as suas economias, como estão? Você faz o seu planejamento financeiro?
Por mais que o assunto de economia e dinheiro esteja pipocando em cada canto do país, as pessoas ainda não conhecem o planejamento financeiro, e não tem noção dos seus benefícios.
Ao ler todo o artigo, você vai conhecer, e entender melhor o assunto, compreendendo a importância do mesmo.
O planejamento financeiro é formado por etapas. Cada uma tem suas características e importância, vamos começar pelo planejamento financeiro pessoal;

Planejamento Financeiro Pessoal

O Planejamento financeiro pessoal tem por destaque o controle de gastos do indivíduo. Então, de forma bem simples e reta, ao falar sobre planejamento financeiro pessoal, estamos falando da relação de suas receitas e despesas.
Teoricamente, todos nós temos receitas:

  • Salario;
  • Rendimentos oriundos de aluguéis;
  • Renda de Investimentos;
  • Pensão.

E várias outras formas de receitas, da mesma forma existem uma série de despesas que vão consumindo nossas receitas, dentre elas podemos citar:

  • Faturas de energia, água e telefone;
  • Internet;
  • Despesas com alimentação;
  • Educação;
  • Seguros.

No segmento de despesas, podemos incluir mais uma imensidão de itens, mas, por hora, vamos focar nos mencionados.
Sem o planejamento financeiro pessoal, ou melhor, sem o controle, você simplesmente vai gastando, até acabar o dinheiro, correto?
Ao iniciar um planejamento financeiro pessoal, você vai analisar as dimensões de receitas e despesas e assim, vai começar a penejar como serão gasto suas receitas. Olhando além da prioridade, coisas como; gastos necessários e gastos supérfluos.

Gestão de Investimentos

Ao iniciar o processo de planejamento financeiro, você deverá focar parte dos recursos adquiridos por meio do seu trabalho em alguns investimentos.
Além de fazer sobrar parte do dinheiro, você deve alocar tais recursos em bons investimentos, preservando e remunerando o seu dinheiro.
Por isso a gestão de investimentos é muito importante, sendo uma etapa indispensável do seu planejamento financeiro. Contar com um consultor financeiro independente é uma das opções para gerir seu patrimônio financeiro.

Planejamento da Aposentadoria

Ao começar investir, trabalhando o dinheiro que sobra, mês a mês, chegou a hora de olhar um pouco mais para o futuro. Como está a sua aposentadoria?
Pois é, aposentadoria é um assunto bem interessante e fundamental. Nossa expectativa de vida vem crescendo anos após ano, e isso exige mais planejamento por nossa parte.
Por isso, a gestão de investimentos, junto de um planejamento para aposentadoria podem ser os alicerces fundamentais visando um futuro melhor e com mais qualidade de vida.

Gestão de Riscos e Seguros

Preservar e investir são coisas importantes, mas e evitar gastos repentinos? É importante? Claro que é!
Você não pode somente focar no dinheiro em si, mas deve construir formas de se preservar em situações repentinas.
Já pensou quanto custa para fazer a manutenção em um carro batido? E se a casa onde você mora sofre com uma enchente, ou um vendaval passa por ela, como fica os custos com o concerto?
Pois é, tudo isso vai levar parte dos seus investimentos, ou até a totalidade dos recursos preservados, por isso, além de preservar e investir, nós temos que nos assegurar que eventualidades não nos prejudiquem de forma financeira.
A contratação de seguros para o carro, casa e até um plano de saúde fazem parte do planejamento financeiro.
Tudo isso, de certa forma, pode trazer impactos em suas finanças. É claro que o seguro em si, como o próprio plano de saúde traz custos que antes, talvez você não tivesse, mas ao menos, se algo de pior acontecer, você e sua família estarão protegidos.

Planejamento Fiscal

Os rendimentos obtidos ao longo do ano como eventuais vendas e negociações, podem gerar situações onde é necessário realizar declarações e até pagar algum imposto.
Por isso, antes de começar um novo negócio, ou até vender algum ativo, você deve colocar em prática um planejamento fiscal.
Por exemplo, você vai fazer um serviço para alguém, sem estar vinculado a uma empresa? Como você irá declarar tais rendimentos em seu imposto de renda? Você vai recolher INSS?
Pois é, todas essas perguntas precisam ser respondidas, e dependendo das respostas, você terá que realizar algumas tarefas.
No caso de um autônomo, que faz serviços para terceiros, como outra pessoa jurídica, é imprescindível a emissão de nota fiscal.
Sem a nota, por exemplo, você não terá um documento comprobatório dizendo que você obteve rendimentos, por exemplo.
Ao emitir uma nota, você também deve ficar atento aos recolhimentos dos impostos. Mesma coisa acontece com a declaração de ajuste de imposto de renda anual.
Na declaração você deve informar seus bens, rendimentos e até os impostos recolhidos ao longo do ano.
Dependendo da situação, é possível que você tenha mais impostos a pagar, ou até a restituir!
Ao aplicar o planejamento fiscal, você poderá saber antemão se é mais negócio, de repente, emitir as notas como pessoa fiscal, ou se não, abrir um MEI, por exemplo.

O planejamento fiscal pode poupar bastante dinheiro quando bem empregado!

Outro ponto é para quem é empregado formal e recebe o salário já descontado do IR. Existe um benefício fiscal para quem investe em previdência PGBL, se a pessoa declara o Imposto de Renda pela declaração completa pode fazer sentido contribuir para uma previdência privada com até 12% da renda tributável anual e ganhar um benefício fiscal.

Planejamento Sucessório

Em grande parte das famílias temos a questão de sucessão, porém, esse assunto não é tratado pelas famílias, deixando tudo para a última hora.
Sendo que nesse momento, onde decisões devem ser tomadas, as pessoas podem estar enfrentado sérios problemas relacionados a perda de um ente querido.
Por isso, é preciso fazer um planejamento sucessório visando à segurança e o bem estar daqueles que vão permanecer aqui.
Dentro do planejamento sucessório entram várias questões como a criação de uma empresa onde os bens possam ficar registrados e os filhos, podem ser os sócios.
Assim, em caso de morte do sócio administrador, por exemplo, os demais sócios podem contar com os bens por meio da empresa.
Outra forma de lidar com a questão de sucessão, é através de um testamento, onde tudo pode ficar muito bem descrito e formalizado, sem esquecer-se de investimentos que podem auxiliar na hora da sucessão, como a própria previdência privada.
Um bom planejamento sucessório pode poupar uma boa quantidade de recursos, sem falar que no momento onde a sucessão ocorrerá, todo o trâmite pode ser feito com mais tranquilidade e sem grandes problemas.

FINAL

Todas essas 6 etapas fazem parte de um planejamento financeiro que segue os padrões da FPSB – Financial Planning Standards Board, entidade responsável pela certificação dos CFP´s – Planejadores Financeiros Certificados.

Ao longo do nosso blog vamos detalhar cada etapa e mostrar a importância de cada uma para o seu planejamento financeiro.